Avaliação Institucional na URI


A avaliação institucional é uma prática existente na Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões há algum tempo. E como instituição comunitária e membro do Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas – COMUNG, aderiu ao Programa de Avaliação Institucional das Universidades que compõe o COMUNG – PAIUNG. Com base nisso, em 2003 criou o Programa de Avaliação Institucional da URI – PAIURI e nomeou um Comitê de Avaliação Institucional.

A criação e a implementação do SINAES, propiciaram à URI a rever e valorizar as práticas avaliativas já existentes e a constituir, em agosto de 2003, uma Comissão Própria de Avaliação (CPA), com a função de coordenar, articular o processo interno de avaliação já existente, bem como disponibilizar e divulgar informações, utilizando instrumentos unificados para as diferentes unidades da URI. Tal comissão é composta por membros de todas as unidades, visando maior integração entre as mesmas, bem como das ações a serem realizadas.

No ano de 2004, foi instituído o Projeto de Avaliação Institucional, visando operacionalizar o PAIURI. Este programa contempla diferentes dimensões, que norteiam o processo avaliativo: a dimensão da graduação, da pós-graduação (lato e stricto sensu), da pesquisa, da extensão e da gestão institucional.
Ainda no ano de 2004, houve a implementação do processo de autoavaliação institucional nas diversas unidades da URI. A CPA estruturou e aplicou instrumentos de avaliação para alunos, professores, coordenadores de cursos e funcionários técnico-administrativos, buscando coletar o maior número possível de informações a respeito da instituição, com vistas a verificar os graus de satisfação quanto à estrutura e infra-estrutura, atendimento ao público, informações específicas dos diferentes setores e cursos de graduação e pós-graduação, bem como dos processos de gestão e avaliação existentes.

As etapas do processo de avaliação, previstas no Projeto de Avaliação Institucional, podem ser descritas da seguinte forma:

  1. Sensibilização e Mobilização: processo que acompanha todas as etapas da avaliação, através de programação continuada de seminários, reuniões, debates, palestras, distribuição de material, etc. O objetivo desta fase é estimular o caráter participativo e continuado da avaliação.

  2. Diagnóstico Institucional: global, de base quantitativa, com informações coletadas, considerando as dez dimensões do SINAES - Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Tais informações permitem uma radiografia da situação atual da URI, servindo como base, tanto para a autoavaliação como para a avaliação externa. São sugeridos os indicadores utilizados pelas comissões de avaliação das condições de ensino do INEP e os utilizados pela CAPES.

  3. Autoavaliação ou Avaliação Interna: utilizando aspectos quantitativos e qualitativos das diferentes dimensões, a autoavaliação constitui fundamental exercício para que a URI debata as metas, os seus projetos, o que vem realizando, os acertos e equívocos, vislumbrando, assim, novos caminhos e possibilidades.

  4. Avaliação Externa: A avaliação externa tem como ponto de partida o diagnóstico e os relatórios da avaliação interna, preliminarmente à visita dos avaliadores externos à URI, para análise.

  5. Reavaliação / Avaliação da Avaliação: são divulgados internamente e discutidos os dados obtidos no diagnóstico geral, na autoavaliação e na avaliação externa de cada dimensão. Espera-se com esta última etapa, a realimentação e difusão da avaliação, a análise pelos órgãos colegiados da URI e dos seus gestores, aos quais cabe a responsabilidade de tomar decisões e implementar medidas consideradas necessárias para corrigir distorções e para melhorar a qualidade do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão na URI. Este é o momento em que é dada publicidade ao processo avaliativo, encaminhando um relatório final para os setores internos da URI e os diversos segmentos da comunidade externa.